terça-feira, 10 de junho de 2008

Membresia e compromisso.

Muitas vezes percebemos em igrejas batistas que algumas coisas não tem sido devidamente explicadas, ou entendidas em nosso meio. Ser membro de igreja é uma delas.

Tenho visto um pensamento comum que determina que apenas o membro da igreja é crente e isso tem sido um atrapalho (ou atropelo) para as relações dentro de nossas igrejas.

Por pensar desta forma muitos membros são desconsiderados na hora de se dar atenção a alguém, de se pedir perdão, de se fazer uma visita. Eles já estão salvos, não precisam de atenção especial.

Por pensar assim, muitos membros rejeitam a disciplina na igreja, temendo que o irmão pare de fazer parte do reino de Deus e achando que estão simplesmente julgando o próximo.

Por pensar assim, muitos se dão ao direito de fazer ou falar qualquer coisa, tendo como único cuidado o de não perder a membresia da igreja, enquanto ninguém souber do meu pecado ou não tomar uma atitude contra ele, está tudo bem, ainda estou no céu.

Mas, afinal, o que significa ser membro de uma igreja?

Ser membro de uma igreja é antes de tudo dizer que concorda com o ensinamento, com a crença, com o conjunto de normas daquela ASSEMBLÉIA (Igreja). Por este motivo nós estudamos as doutrinas antes do batismo, fazemos profissão de fé, e pedimos aos crentes de outras denominações que passem pelo mesmo processo (mesmo que tenham que se batizar de novo) para poderem ser membros da igreja.

O membro de uma igreja é um ser perfeito, que não peca, não erra?

O membro da igreja é um crente que continua em processo de crescimento, procurando atingir a perfeição de Cristo. Ele não deve ficar estagnado no pouco conhecimento que adquiriu durante sua preparação para o batismo, deve continuar lutando para aperfeiçoar-se espiritualmente e também no amor. Mas isso tem sido exigido apenas de alguns poucos membros diligentes de cada igreja ou denominação. Estamos sujeitos a falhas, grandes e pequenas, erramos, pecamos e pagamos o preço por isso, mas temos que ter consciência do que acontece à nossa volta e da conseqüência de nossos atos diante da sociedade.

O que deve ser determinante para que uma pessoa seja membro de uma igreja?

Primeiramente ele deve aceitar, concordar e respeitar a doutrina da igreja.

O membro deve defender aquilo que sua igreja crê, de forma que sua igreja não seja envergonhada por suas atitudes.

O membro deve procurar, tentar, fazer um esforço para viver de acordo com aquilo que crê.

E se não conseguir?

Se as atitudes do crente estiverem levando o nome do evangelho ao escândalo, é melhor que ele deixe de ser membro, procure corrigir a sua vida e depois peça reconciliação à igreja. Para que seja apresentado sempre digno diante da sua igreja e da sociedade. Esta é a disciplina.

O que devemos fazer com as pessoas que estão com dificuldades de seguir a doutrina?

Ajudá-las, sabendo que poderíamos ser nós a estar sofrendo tal coisa.

Ter consciência que o pecado é antes de tudo um sofrimento, ninguém vive feliz por estar fora de centro da vontade de Deus.

Nunca julgar nosso irmão (e como isto é difícil).

Procurar demonstrar pessoal interesse na reconciliação da pessoa com o Senhor Jesus. Não colaborando com o seu pecado, mas querendo ver resgatado um pecador.

Lembrar sempre que mentir, criar divisões, fofocar, acreditar em horóscopo e outras coisinhas que julgamos menores são pecados tão grandes como o pecado da feitiçaria, e se não têm conseqüências drásticas na sociedade, têm conseqüências terríveis na vida espiritual do crente, minando o seu vigor e sua fé.

Integração de novos convertidos

Deve ser feita com muita atenção. Os novos convertidos não conhecem nosso jargão, não conhecem as pessoas da igreja, têm a tendência de achar que todos aqueles que se congregam aqui estão plenos do Espírito.

Devemos tomar cuidado ao acompanhar os novos convertidos, para que não se frustrem com nossas atitudes, para que não sejam levados a desistir por causa das atitudes de nossos irmão. Para que não creiam em todas as mentiras que se pregam a respeito da igreja.

Integração de visitantes

Aqueles que costumam nos visitar e nunca fazem uma decisão, são nossos maiores críticos. Devemos promover sua integração, mas em tudo devemos falar a eles a respeito da salvação. O funcionamento da igreja eles já conhecem, o defeito dos irmãos também, o que eles precisam conhecer acima de tudo é a salvação em Cristo Jesus. O mais será resolvido.

Integração de pessoas do grupo

É talvez o que nós mais nos esquecemos de fazer. Achamos que pessoas que estão na igreja há anos não precisam mais de nosso carinho, de nossa atenção e cuidado e voltamos todas as nossas energias a dois grupos, os nossos amigos e os de fora, mas isso não deve ser feito assim, devemos procurar constantemente saber das carências espirituais e emocionais de nossos irmãos e procurar ajudá-los em nossas necessidades.

Integração entre grupos

Dentro de uma igreja existem divisões saudáveis mas que muitas vezes estão em níveis diferentes de atividades e às vezes até de espiritualidade. Um grupo que está à frente, mesmo que não em reuniões, deve procurar sempre levar os demais a crescerem. Para que a igreja tenha um único pensamento e atitude, vai ser muito melhor assim.

Integração com o pastor e liderança

Toda a atividade da igreja deve seguir para uma mesma direção. Para isso existem as lideranças. Os planos devem ser expostos, as decisões devem ser acatadas, e se alguma coisa de errada ocorrer no meio do caminho, ninguém deve fazer críticas a quem errou, antes, deve-se buscar uma solução que supere as conseqüências dos erros cometidos.

Nenhum comentário: